Cap. 3 - A Imigração Sírio-Libanesa

A imigração sírio-libanesa teve início na segunda metade do século XIX mais precisamente em 1870, dez anos depois em 1880 o movimento migratório atingiu todas as aldeias do Líbano.

As causas da imigração foram de ordem política, religiosa e econômica ou pela conjunção de dois ou até mesmo dos três fatores.

Foram abertas duas rotas de imigração:

1. Para o Egito, Sudão e colônias da França e Inglaterra situadas na África (central e ocidental) esta rota mais antiga era a preferida pelos não cristãos.

2. Para as Américas, Austrália, Nova Zelândia e ilhas do pacifico, rota preferida pelos cristãos.
Na América os Estados Unidos, Canadá, Argentina e Brasil eram os países preferidos nesta ordem pelos sírios libaneses.

O trajeto era feito em duas escalas: do Líbano para um porto da Europa ocidental (Marseille-França e Nápoles ou Genova - Itália) e deste para a América, sempre na terceira classe dos navios.

DEPOIMENTO AGANY RAYES

"Vamos para Amerik*"

"Com apenas 30 dias de vida sai de Damasco (Síria) com destino ao Rio de Janeiro (Brasil) em 1924 da viagem entre a Síria e o Brasil lembro das coisas que meus pais, Kalil Samahia e Jamile Haddad me contaram:

Saímos da Síria, paramos em Genova/Itália e depois de 40 dias de viagem chegamos ao Rio de Janeiro, o navio era de uma companhia Italiana, durante a viagem muita gente passou mal, estranharam a comida italiana a massa e os molhos e ficaram doentes, foi uma viagem difícil muito desconfortável”.

Agany Samahia Rayes (esposa de Taufic Rayes, irmão de Alia Rayes).

*os sírios e libaneses falavam “Amerik” referindo-se a América.

IMIGRAÇÃO SÍRIO-LIBANESA PARA O BRASIL

A imigração para o Brasil aumentou as vésperas do século XX por vários motivos, muitos não conseguiram visto para os Estados Unidos, ou achavam que entrando no Brasil seria mais fácil a entrada para os Estados Unidos posteriormente, outros, ainda, foram enganados pela Cia. De navegação desembarcaram no Rio ou em Santos achando que estavam em solo norte-americano, porém grande parte chegaram ao Brasil encorajados por familiares que já estavam por aqui e que viam no Brasil uma chance de melhorar a vida.

Outro fato que contribuiu para o aumento da imigração para o Brasil foi a visita do Imperador D. Pedro II ao Líbano em 1876 estreitando o relacionamento entre os dois países.

Devido o domínio turco otomano os sírios e libaneses até 1892 entraram com passaportes Turcos, de 1893 a 1926 foram classificados como sírios e somente a partir de 1926 entraram com passaporte libanês.

Diferentemente de outros imigrantes os sírios e libaneses fixaram-se nos grandes centros e se dedicaram as atividades comerciais.

Com pouco capital e após conhecimentos básicos da língua portuguesa era comum os sírios e libaneses iniciarem a vida como mascate.

Nosso início de vida no Brasil não poderia ser diferente, a história da família Rayes no Brasil começa no próximo capítulo...

 

Registro de estrangeiros de Chafik e Taufic Rayes (irmãos da Alia).

 

Monumento em homenagem a imigração Sírio/Libanesa localizado na Praça Ragheb Choffi
(Pq. Dom Pedro - Rua 25 de Março) em São Paulo/SP

Comunidade libanesa no Brasil em 2015

A comunidade libanesa no Brasil, formada na sua maioria por descendentes, é maior que a população do Líbano. São aproximadamente 8 milhões de libaneses e descendentes em território brasileiro contra aproximadamente 4 milhões no Líbano.

Além do comércio os libaneses se destacam também na medicina, no direito e na construção civil entre outras atividades.

Entre as instituições fundadas pelos libaneses e descendentes em São Paulo/SP podemos citar:

Hospital Sírio Libanês, Clube Atlético Monte Líbano e Câmara de Comércio Líbano Brasil.

 

 

Atualizado em 20/08/2018

© 2015-2018 Irmãos Rayes - Todos os direitos reservados.

L2 Midia